Arquitetura de Soluções

por Waldemir Cambiucci

Enterprise Architecture: TOGAF e o planejamento estratégico

Olá pessoal, tudo certo?

Um dos principais guias relacionados com arquitetura corporativa é o TOGAF – The Open Group Architecture Framework (http://www.opengroup.org/togaf/). A partir de seus princípios e disciplinas, o TOGAF organiza o processo de entrega de uma arquitetura em diversas frentes de atuação, contemplando aspectos de negócio, informação, processos, tecnologias, mudanças e governança.

De fato, os fundamentos de arquitetura definidos pelo IASA e os métodos e disciplinas organizados pelo TOGAF são ferramentas importantes para o arquiteto de TI.

As fases de implementação de arquitetura definidas pelo TOGAF são apresentadas através do ADM – Architecture Development Method, que você vê na figura abaixo:

image

O método ADM define fases de execução de uma arquitetura corporativa, ajudando os arquitetos e profissionais envolvidos na melhor organização e acompanhamento das atividades em execução. Note que no centro do ADM temos o gerenciamento de requisitos, ou seja, um repositório histórico de definições, princípios de arquitetura e requisitos de negócio definidos ao longo do projeto.

Quando o uso de um framework de arquitetura como o TOGAF pode ser muito importante?
Resp.:
por exemplo, quando estamos apoiando um planejamento estratégico na corporação.

Nas empresa, o planejamento estratégico pode ser entendido de diferentes formas, com significados diferentes para pessoas e níveis diferentes. Mas de modo geral, o planejamento estratégico está relacionado ao planejamento de negócio (ou Business Planning), que acontece de forma anual em muitas empresas.

A partir do exercício do Planejamento Estratégico, podemos identificar diferentes motivadores de negócio, que terão impacto em nossa organização no médio e longo prazo, como:

– criação de novos produtos e serviços;
– maior flexibilidade para negócios e agilidade;
– fusões e aquisições;
– reorganização da empresa;
– consolidação de plantas de manufatura, linhas de negócio, parceiros, sistemas de informação;
– mitigação de riscos;
– redução de custos;
– novas iniciativas para o gerenciamento de processos de negócios;
– outsourcing;
– operações off shoring, etc.

Você concorda que todos os motivadores acima oferecem impacto direto ou indireto em projetos de TI?

O Planejamento Estratégico pode ocorrer ainda em diferentes etapas, como:

1. definição da missão e objetivos da organização;
2. análise do ambiente e estado atual da empresa;
3. definição da estratégia;
4. implementação da estratégia;
5. avaliação constante e monitoração;

A partir das definições do planejamento estratégico, o time responsável pela arquitetura corporativa tem subsídios para criar o mapa de atendimento entre as capacidades de negócio desejadas pela empresa e os diferentes níveis de arquitetura (processos, negócios, informação, tecnologia, etc).

Nesse ponto, o uso de um framework organizado para condução e entrega de uma arquitetura corporativa torna-se uma ferramenta essencial para o sucesso do projeto.

Assim, quando estiver envolvido em projetos de arquitetura que apresentem um impacto mais amplo na empresa, não deixe de visitar as disciplinas de um framework de arquitetura.

Por enquanto é só! Até o próximo post 🙂

Waldemir.