Arquitetura de Soluções

por Waldemir Cambiucci

Planilha de capacidades na plataforma Microsoft

Olá pessoal, tudo certo?

Semana passada estive com diversas equipes de desenvolvedores e arquitetos, em projetos que estou acompanhando no mercado. Os cenários passaram por algumas tecnologias como Silverlight 4, Windows Phone 7, Windows Azure, ASP.NET 4, WPF, WCF, WF, ASP.NET MVC, WIF, Windows Server AppFabric, SharePoint Server 2010, SQL Server 2008 e AD FS 2.0.

De fato, precisamos lembrar aqui que essas tecnologias podem ser agrupadas em pilares de capacidades de uma plataforma de aplicações, como vemos no desenho a seguir:

image

Quando olhamos de perto cada pilar, podemos agrupar as tecnologias e produtos Microsoft como vemos a seguir:

image

Você já deve ter visto esses desenhos por aqui, em posts anteriores, por isso, não se assuste!

Mas é sempre bom lembrar que a proposta de organizar os recursos de sua TI em grupos de capacidades é uma excelente prática! Fazendo assim, você pode organizar melhor a estratégia de evolução de cada pilar, enquanto coordena o atendimento das necessidades de negócio que os projetos exigem de sua arquitetura de TI.

Aproveitando as discussões de Assessment que vimos nos posts anteriores, podemos agrupar nossas aplicações nos seguintes grupos gerais:

  • Business Management Application / Aplicações para Gerenciamento de Negócios
  • Business Productivity Application / Aplicações para Produtividade
  • Core Infrastructure Application / Aplicações de Infraestrutura
  • Web Applications  / Aplicações Web
  • Outras Aplicações (mais específicas ou fora da lista acima)

Agora pense para cada grupo acima quais grupos de capacidades são mais importantes ou estratégicos em determinado momento. Esse exercício irá ajudar na priorização de esforços e necessidades de evolução, para os projetos criticos de sua empresa.

Espero separar um tempinho para fazer alguns desses mapeamentos, para compartilhar com o leitor. Talvez uma matriz no Excel seja um caminho interessante para esse mapa, algo como vemos a seguir:

image

O que acha? Fique a vontade para explorar alternativas e criar a sua. Pode ser uma boa ferramenta para estudar suas opções de plataforma e tipos de aplicações em produção.

Por enquanto é só! Até o próximo post 🙂

Waldemir.