Arquitetura de Soluções

por Waldemir Cambiucci

MEBA – Multi-Enterprise Business Application.

Olá pessoal, tudo certo?


image Um assunto muito interessante que foi apresentado durante o PDC 2008 e o SAF 2008 é o MEBA – Multi-Enterprise Business Application. Ele é parte dos trabalhos do time de Jach Greenfield, nosso grande conhecido do mundo das Software Factories. Vamos falar um pouco sobre MEBA hoje.


Quando pensamos no mundo enterprise, com software on-premise e hardware local, uma discussão frequente tem sido como aplicar uma abordagem SOA de sucesso. Entende-se por sucesso a correta seleção de funcionalidades das aplicações de linhas de negócios (LOB) como serviços, obtenção de SLA’s aderentes às necessidades de negócio, facilidades de administração, uso de protocolos abertos, reuso, boa governança de serviços, etc.


A partir do sucesso de cada empresa na implementação de SOA, surge o desafio da integração entre empresas, por exemplo, participantes de um mesmo processo de Supply Chain. Como coordenar os vários processos de SOA locais com uma visibilidade maior, num processo maior com diversos participantes?


Esse desafio é grandioso e muitas empresas de diferentes verticais e ramos de atividades o enfretam todos os dias. No papel de arquitetos de soluções, de infra-estrutura ou de enterprise, como podemos tratar esses problemas e aspectos de integração?


image Uma das abordagens é o reconhecimento de patterns de integração e manipulação de dados. De fato, existem diversos tipos de patterns publicados, seja para cenários específicos de SOA – Service Oriented Architecture, BPM – Business Process Management ou EAI – Enterprise Application Integration. Note que relacionei as três tecnologias (SOA/BPM/EAI) por estarem geralmente associadas em diversos projetos hoje em dia. Tenho conversado com várias empresas que questionam sobre soluções ou abordagens para as três frentes, adicionando ainda um quarto participante que seria o ESB – Enterprise Service Bus.


Nesse ponto, o ESB serve como modelo de integração central para essas múltiplas empresas de um cenário SOA global. Surge então o conceito de Multi-Enterprise Business Application. O MEBA trata um conjunto de patterns e cenários de integração de SOA’s distribuídos, geograficamente dispersos entre várias empresas. E o que poderia ser usado para integrar esses vários cenários? Uma plataforma de serviços na nuvem. 🙂


image


Os patterns do MEBA devem consolidar cenários de integração de diferentes ambientes de SOA através de serviços e aplicações persistidos na plataforma Azure, que funcionará como um ponto central de conectividade e integração entre diferentes aplicações e linhas de negócio. Note que para essa integração, serviços como Service Bus Services, Workflow Services e Access Control do .NET Services, assim como o próprio SQL Services serão blocos construtivos desse ambiente de conectividade. Surge assim uma nova utilidade para os blocos construtivos da plataforma de serviços do Azure.


Os trabalhos estão em desenvolvimento, mas já é possível imaginar o mundo de oportunidades e alternativas de integração para cenários corporativos complexos e hoje proibitivos, com a utilização de soluções baseadas na nuvem. Nas palavras de Jack Greenfield, podemos estar diante de um renascimento de soluções B2B e de integração global entre empresas de diversas indústrias e ramos de atuação.


Esse foi só um primeiro post sobre o assunto. Em conversas futuras, vamos continuar discutindo esse tema, fiquem ligados.


Para saber mais sobre o assunto, veja a sessão apresentada durante o último PDC 2008 pelo próprio Jack Greenfield.


Behind The Scenes: How We Built a Multi-Enterprise Supply Chain Application
https://channel9.msdn.com/pdc2008/BB59/ 


Por enquanto é só! Até o próximo post 🙂


Waldemir.