Arquitetura de Soluções

por Waldemir Cambiucci

Windows Azure : SQL Data Services (SDS).

Olá pessoal, tudo certo?


image Como já sabemos (desde ontem:) o sistema operacional Windows Azure, construído para o suporte de serviços na nuvem, apresenta 5 grandes blocos de serviços para aplicações:



  • Live Services

  • Microsoft .NET Services

  • Microsoft SQL Services

  • Microsoft SharePoint Services

  • Microsoft Dynamics CRM Services

Esses são os chamados blocos construtivos do Windows Azure. Cada um dos blocos acima suporta, por exemplo, serviços finais da Microsoft (lá no topo) como:



  • Windows Live

  • Microsoft Office Live

  • Microsoft Exchange Online

  • Microsoft SharePoint Online

  • Microsoft Dynamics CRM Online

Serviços finais são destinados ao consumidor final, usuários domésticos ou do enterprise, que utilizam serviços prontos para uso através da Web ou do Desktop.


image Assim, os building block services fornecem um conjunto grande de recursos, permitindo a construção de novos serviços e aplicações para a nuvem, suportando o modelo Software + Services. Recursos como tratamento de workflows, identidades, roteamento de mensagens, barramento de serviços, storage na nuvem, etc., são essenciais para esse novo mundo S+S. Durante o PDC 2008, algumas aplicações que usam esses recursos já estão sendo anunciadas. Veja por exemplo o BlueHoo.com 🙂


Um dos building blocks presentes na plataforma Azure é o Microsoft SQL Data Services. Esse é o nome definitivo do SSDS – SQL Server Data Services, o repositório de dados na nuvem. Quem esteve comigo na sessão APC301 do TechEd Brasil 2008 viu um pouco sobre esse serviço. Tivemos algumas mudanças (para melhor) mas de fato, o modelo de programação continua o mesmo, baseado nos conceitos do “ACE” – Authority, Container e Entity.


Entre as novidades do serviço temos a função OfKind, aplicável sobre as entidades. Com esse novo recursos, nossa aplicação poderá realizar queries como:


from c in entities.OfKind(“Customer”) select c


…que permitirá consultas específicas para os dados publicados na nuvem.


Outro recurso importante é o suporte a ordenação, através da cláusula “Order By“. Já realizei alguns testes sobre o SDS hoje (ninguém é de ferro) e a possibilidade de construir buscas específicas com o recurso de ordenação é muito interessante.


E finalmente, o novo SDS virá com suporte a métricas sobre o serviço. Esse tipo de função permitirá consultas de monitoração como:


Qual o número de containers e entities eu tenho associados ao meu usuário?
Qual o total de espaço consumido por uma authority ou container?
Qual o total de espaço usado por blobs em um container?
Qual o total de requisições (GET, POST, PUT, etc.) enviadas para authorities ou containers?
Qual o número de requisições e respostas em bytes enviados contra um container ou authority?


Esses são apenas alguns dos pontos anunciados sobre o novo SDS, que teremos disponível para nossas aplicações na nuvem em breve. A nova versão está prevista para novembro.


Para saber mais sobre o SQL Data Services, veja o link a seguir:


SQL Data Services (SDS)
Ref.: http://msdn.microsoft.com/en-us/sqlserver/dataservices/default.aspx


Como já disse o Otávio, falta tempo para tanto blog!!! 


Por enquanto é só! Até o próximo post 🙂


Waldemir.