Relatório indica menor ocorrência de ataques ao Windows Vista do que ao XP


A Microsoft divulgou esta semana a 7ª edição do Relatório de Inteligência de Segurança (SIR), em que mapeia as atividades de códigos maliciosos (malware) em 18 países, entre os quais estão Brasil, França, Estados Unidos, Itália e Reino Unido.
Além do cenário de ameaças em cada país, o SIR compara a incidência de ataques entre as duas últimas versões de seu sistema operacional – Windows XP e Windows Vista. Neste caso, a análise constata que a taxa de infecção do Windows Vista foi 61,9% menor do que no Windows XP, considerando-se todas as suas diferentes configurações e pacotes de correção. Outro dado é que quanto maior o nível de pacotes de correção (Service Pack), menor a taxa de infecção. O service pack inclui todas as atualizações de segurança lançadas anteriormente à data de lançamento do software e podem incluir recursos de segurança adicionais, reduções ou alterações para as configurações padrão para proteger os usuários.

O estudo mostra ainda que versões do Windows Server normalmente exibem, em média, uma menor taxa de infecção do que as demais versões corporativas do sistema operacional. Já a principal ameaça detectada em ambientes corporativos foi o worm Conficker, embora não figure na lista das dez principais ameaças detectadas em ambientes domésticos.

Os worms subiram do quinto para o segundo lugar entre os tipos de ataques reportados na comparação do segundo semestre de 2008 com os primeiros seis meses deste ano.

Os dados do relatório também incluem sistemas operacionais e versões do browser em funcionamento nos computadores. Com relação a ataques em navegadores que rodam no Windows XP, as vulnerabilidades representaram 56,4%, enquanto no Vista, essas ocorrências foram identificadas em apenas 15,5% do total de máquinas analisadas.

Sobre o relatório
O SIRv7 oferece uma visão profunda e precisa do cenário de ameaças em cada país. Pela primeira vez,  este relatório compartilha as melhores práticas de segurança dos países que têm apresentado de forma consistente poucas infecções por malware. Essas melhores práticas e inteligência de segurança oferecem um recurso valioso para os líderes de negócios que precisam tomar decisões precisas, baseadas nas ameaças mais prementes atualmente.

A inteligência de segurança contida no SIRv7 foi obtida por meio de uma vasta comunidade de clientes em todo o mundo. Com autorização dos usuários, a Microsoft reúne informações dessas centenas de computadores. Os mecanismos de informação do Relatório de Inteligência de Segurança da Microsoft são diversos e amplos, incluindo a Ferramenta de Remoção de Software Mal-Intencionado da Microsoft (MSRT), em 450 milhões de computadores em todo o mundo; o Bing, que realizou bilhões de rastreamentos de páginas da Web nos últimos seis meses; o Windows Live OneCare e o Windows Defender, que operam em mais 100 milhões de computadores em todo mundo; Forefront Online Protection for Exchange e o Forefront Client Security, rastreiam bilhões de mensagens de e-mail a cada ano; e o Windows Live Hotmail, em operação em mais de 30 países com centenas de milhões de usuários ativos de e-mail.

O relatório SIR completo, em inglês, você encontra aqui.

Skip to main content