Camera Agroalimentos migra de software livre para soluções Microsoft


Para oferecer serviços de melhor qualidade e mais estáveis, a equipe de TI da Camera Agroalimentos S/A foi em busca de uma solução reconhecida pelo mercado. Depois de analisar diversos sistemas, optou por produtos Microsoft em substituição ao software livre que utilizava. A companhia adotou o Microsoft Windows Server, como servidor de arquivos e migrou para Microsoft Exchange Server.


 


Há dois anos a equipe de TI da Camera Agroalimentos percebeu que as ferramentas baseadas em software livre que utilizava não acompanhariam o ritmo de crescimento da empresa. Usuária do sistema Samba, como servidor de arquivos, e do Postfix, como solução de correio eletrônico, a empresa registrava diversas queixas relacionadas à estrutura. A falta de um catálogo de endereços corporativos pelo webmail, a dificuldade de gerenciamento das estações de trabalho, as quais não eram dotadas de domínio, e a carência de recursos avançados de segurança elencavam a lista de reclamações.


 


A ocorrência de paradas por falhas técnicas também era frequente, acarretando em perdas financeiras e de produtividade. Diante desse quadro, a Camera passou a buscar uma nova plataforma de TI. Um dos objetivos era padronizar as máquinas e automatizar seu gerenciamento. A Processor, integradora parceira da Microsoft foi a escolhida para implementar as soluções.


 


A escolha pelos produtos Microsoft deveu-se, principalmente, por serem os mais usados pelo mercado. Além disso, pesou o suporte técnico, que passou a ser mais efetivo, oferecido tanto pelo parceiro como pela fabricante. "Saímos de uma estrutura instável para outra que oferece total estabilidade e segurança", afirma Gerson F. Muraro, gerente de TI da Camera Agroalimentos.


 


Antigamente as atualizações eram feitas máquina a máquina e os clientes internos da Camera não tinham restrições de acesso aos dados. "Hoje, o administrador diz o que pode ou não ser executado nas 200 estações e temos o controle sobre as ações dos usuários", reforça o gerente.


 


Após análise do ambiente, definiu-se pela criação de domínio e adoção de um servidor de arquivos, envolvendo a criação de servidor virtual com Windows Server 2003; a implementação do Active Directory no servidor virtual e a criação de contas e ajustes de scripts de logon dos usuários. "Efetuamos também a migração de dados para novo servidor de arquivos", conta Silnira Colombo, assessora de Negócios da Processor.


 


Já a instalação do Exchange Server resultou na criação das caixas postais dos usuários. Silnira explica que houve a configuração do Postfix, para que o Exchange recebesse as cópias das mensagens anteriores.


 


 


Retorno de investimento


No que se refere a retorno de investimento, a empresa não fez um estudo, mas calcula que o ROI será imediato, tendo em vista o aumento da segurança e da estabilidade de TI. "Apenas um dia sem parada já paga o montante investido", garante Muraro.


 


A Camera Agroalimentos alcançou um grande aumento de produtividade, mais velocidade de processamento e satisfação dos funcionários. "Com os sistemas da Microsoft, também adotados pela maioria das grandes empresas, estamos aptos a aumentar nossa competitividade", avalia o gerente de TI.


 


A proposta agora é aprimorar. Com toda base preparada para suportar novos aplicativos, a meta é buscar mobilidade com outros dispositivos para a troca de mensagens.

Skip to main content