SQL Server 2014 RTM


Hoje foi lançado oficialmente o SQL Server 2014. General Availability (GA) será no dia 1 de abril. Nessa data a mídia será liberada, assim como a imagem da VM no Windows Azure.

The Official Microsoft Blog: SQL Server 2014 released to manufacturers, will be generally available April 1
http://blogs.technet.com/b/microsoft_blog/archive/2014/03/18/sql-server-2014-released-to-manufacturers-will-be-generally-available-april-1.aspx

Essa é uma excelente notícia não somente para os técnicos, mas também para todo o time de Marketing de SQL. Isso porque nunca tivemos um apelo tão forte quanto a questão do “in-memory database” – funcionalidade capaz de melhorar o desempenho em 5x, 10x e até em 50x.

Afinal, o que seria esse conceito de “in-memory” e por que não tínhamos essa funcionalidade antes? Os dados não ficavam cacheados em memória?

SQL Server 2014 traz duas funcionalidades que compõe o conceito do “in-memory”:

  • xVelocity v2 – Conhecido como ColumnStore porque, ao contrário do armazenamento baseado em linhas (row based), o xVelocity guarda os dados por colunas (column store). Esse novo formato permite obter grande taxas de compressão nas tabelas e, portanto, redução no consumo de disco e tempo de acesso. xVelocity v2 é uma evolução da primeira versão disponível no SQL 2012, sendo possível criar índices Clustered e Read/Write.
  • Hekaton - Conhecido por “in-memory OLTP”. Esse é um engine completamente diferente do tradicional, no qual os dados são armazenados em arquivos especiais (diferentes dos conhecidos MDF e NDF) e utilizam um cache isolado (não é o Buffer Pool). O gerenciamento de memória é realizado em um Memory Broker dedicado (XTP – eXtreme Transaction Processing).

Ambas as tecnologias assumem uma grande quantidade de memória disponível para a instância SQL Server. Dessa forma, não é preciso se preocupar tanto com o Buffer Pool. A grosso modo seria dizer que antigamente o banco de dados passava mais tempo no disco e hoje em dia, devido a quantidade de memória dos servidores, podemos deixar o banco de dados em memória – isso torna possível utilizar os recursos “in-memory”.

Gostaria de destacar as funcionalidades escondidas e que merecem um post dedicado a cada uma delas.

  • Resource Governor
  • Delayed Transactions
  • Buffer Pool Extension
  • TempDB local

Além dessas funcionalidades, há uma série de melhorias no Availability Groups. Você sabe dizer qual foi a principal funcionalidade introduzida no SQL Server 2014 relacionada ao AlwaysOn? Eu tenho uma opinião… antes deixe o seu palpite nos comentários!

Comments (8)

  1. Demétrio Silva disse:

    Fala Catae blz? Cara, não sei se é a melhor mas a integração com o Azure achei fantástica.

    Abraços

  2. Com certeza a integração com o Azure é um dos direcionamentos mais fortes do SQL 2014. De verdade, nem tinha olhado muito isso… vou ter que estudar para falar. Pois minha pergunta vai ser "qual a OUTRA importante funcionalidade…".

    Abraços, Fabricio

  3. Thiago Caserta disse:

    Só lembrando aquele post do X = Transação. Hekaton é um exemplo bem claro disso, inclusive as DMVs do Hekaton usam o mesmo acrônomo: XTP.

    Um abraço,

    Caserta.

  4. Renato disse:

    Catae,

    Seria essa funcionalidade relacionada à quantidade de réplicas que duplicou (8 secundários) ou seria da interoperabilidade de versões das réplicas (sendo possível ter um secundário 2012 e outro 2014 no mesmo AG)?

    Abraço

  5. Renato, sério que agora é possível ter secundários em 2012 e 2014 misturados? Estou bem desatualizado. Tenho que estudar isso também!!! 🙂

  6. Fabio disse:

    A outra funcionalidade seria a replica secundária permanecer disponível para leitura após a perda do primário?

  7. Sim, essa funcionalidade de ler dados mesmo com o primário "desaparecido" é bem interessante.

  8. Quando trabalhamos com o Hekaton, o processo de recovery (no startup do SQL Server) é feito primeiro com as tabelas em memória do Hekaton e depois nas tabelas tradicionais, sempre nessa ordem.

    Respondendo a pergunta sob o meu ponto de vista: qual a principal funcionalidade introduzida no AlwaysOn. Na minha opinião, a feature mais interessante foi a possibilidade de combinar o Hekaton com o AlwaysOn. Parece algo simples e trivial, fora que era "óbvio" que isso seria implementado. Mas aqui tem algo interessante: o recovery do log no secundário é feito em tempo real para o Hekaton e os dados são disponibilizados imediatamente para os leitores. Isso significa que além de otimizarmos o processo de inserção, estamos possibilitando a leitura em múltiplos secundários simultaneamente. Melhoramos a escrita e a leitura!

    Muitos devem discordar da minha opinião… ok!!! Tem muitas coisas novas mesmo!! Fiquem a vontade para postar suas opinicoes.

Skip to main content