waterfall e sua elite…nova elite no agile…


eu não sou mais um garoto e obviamente vivi e participei de vários projetos waterfall. hoje li um artigo ou documento escrito e “postado” pelo “uncle bob”. neste documento ele fala a respeito da elite dos projetos waterfall.

como vivi estes projetos conheço bem os nomes utilizados por ele: arquitetos, designers e analistas. eram a elite porque eram responsáveis por desenhar e especificar o projeto. eram os “engenheiros”. ficavam com a parte nobre. esta história colou por tanto tempo que era muito comum as pessoas quererem logo ser analistas. eu mesmo fui analista por muito tempo. uma vez escutei um cara falar: “programador!? eu!? não, eu quero ser analista”. como o “uncle bob” bem descreveu, estas idéias, e esta elite, colocou o “código”, e logo o programador, para um segundo plano.

vejam só como fomos ingênuos, o código, que sem dúvida é um elemento importante, se não fundamental, nesta engenharia, foi colocado em segundo plano. o resultado foi que ninguém, ou quase ninguém, queria ser programador. era visto quase como um trabalho serviçal. todos os “bons”, os inteligentes e capazes eram analistas, ou arquitetos, ou gerente de projetos, ou qualquer coisa parecida.
como conseqüência, pelo menos aqui no brasil, colecionamos os analistas que nunca escreveram um linha de código e não tinham a menor idéia do que era implementar aquela sua “grande idéia” expressa nos documentos.

 uncle bob então descreve o surgimento do movimento ágil, com scrum e xp. o código e os desenvolvedores eram novamente valorizados. times auto-organizados e que não precisavam de um gerente de projeto. uma vasta documentação é substituída por ciclos de desenvolvimento menores e como uma interação grande com os usuários. e chegamos onde estamos hoje.
o problema que uncle bob quer chamar a atenção é que a antiga elite do waterfall agora está se infiltrando dentro dos times ágeis através das certificações do scrum. em vez de assumirem seu papel de “coach”, forçam a sua posição de “gerente de projetos” ou de “chefe” que dita o que precisa ser feito e que deve ser obedecido. como ele mesmo diz, quando o projeto vai bem ele que vai receber o prêmio. mas será que ele irá arcar com as conseqüências se o projeto for mal? segundo eles, esta elite está se mascarando através das certificações, como scrum master.

já como repercussão deste post, jason gorman, adicionou que na verdade, o waterfall não morreu. pior do que isto, ele agora está mascarado de ágil. desta maneira todos os processos continuam muito parecidos e a mesma elite pode se mascarar neste novo modelo. eu mesmo já presenciei algo parecido, quando vi uma pessoa querer adicionar o uso de sinais (verde, amarelo e vermelho), comum em gerencia de projetos, ao “processo ágil” da empresa deles. eu também já tentei usar scrum apenas como o meu time enquanto o todo o resto era wartefall. é claro que não funcionou. o time precisava ser realmente auto-organizável. algo que não aconteceu.

não me considero agilista porque nunca trabalhei realmente em um time ágil (embora considere este modelo apropriado). entretanto, o que tiro de lição é o foco no desenvolvimento. embora não trabalhe em um time ágil, trabalho numa empresa e em um time que valoriza e foca no desenvolvimento.

então desta mesma maneira, me incomoda o surgimento, de “mestres”, “consultores”, “instrutores” que tem surgido com o movimento “ágil”. não necessariamente a mesma elite, mas talvez uma nova elite. muitos deles claramente não tem experiência nem maturidade suficiente para ensinar como outros devem e podem aplicar tais princípios em outras empresas. conhecem apenas a teoria. ou como muitos citam: “pela minha experiência”!? e na próxima frase, citam que começaram a desenvolver há 2 ou 3 anos atrás.
quanto código de verdade eles já escreveram? quanto ainda escrevem? não código para testar uma nova tecnologia. código que está em produção. código que sofre manutenção freqüentemente. e claramente é fácil de ser evoluído graças a um bom design. quanto projetos “de verdade” e realmente “ágeis” ele participou?

infelizmente o que mais tenho visto são pessoas que como pouco tempo de experiência, depois de escreverem alguns artigos e darem algumas palestras conseguem arrebanhar uma legião de fãs ….. até aí tudo bem …. e tornam-se consultores ou gurus de desenvolvimento de software. pior que isto, escrevem, falam e colocam suas posição sobre desenvolvimento de software como verdade absoluta…como se houvesse verdade absoluta em desenvolvimento de software. o problema não está me escreverem ou blogarem obviamente. o problema está em que eles não estão mais abertos a discussão. apenas participam delas para colocar a sua opnião e que na visão deles é a verdade absoluta. e pior do que isto, agora são capazes de ditar como outros devem fazer.

isto infelizmente gera muita distorção.

enquanto isto, um amigo meu me diz que está com dificuldade para contratar seis “bons”, realmente “bons” desenvolvedores de software….quanto isto é responsabilidade desta “nova elite”?

uncle bob termina por dizer que espera que quando estes arrastarem o scrum para baixo não arrastem o movimento ágil como eles.
eu espero que esta “elite” não arrastem os futuros “bons” desenvolvedores com eles…..

[]s

P.S:  quando me refiro a arquitetos aqui, não me refiro a classe em geral. apenas aqueles que acham que tem uma função superior, quer seja intelectual quer seja hierárquica sobre o time de desenvolvimento. trabalho como arquitetos no meu time e eles tem uma função importante dentro do time.

Comments (3)
  1. Frederico B. Emidio says:

    Fantástico!

    Parabéns!

  2. Fernando Batista Emídio says:

    Cara, eu sei a quem você está respondendo.

    Depois de tanto tempo acho que nunca concordei tanto com você.

    Abs.

  3. J.P.R.S. says:

    Muito bom o post!

    Abraços

Comments are closed.

Skip to main content